PAPO GASTO ( O apagão dos talentos? )


O velho discurso dos recrutadores e empresários de que “faltam profissionais qualificados” está em cheque. Saiu uma excelente nota na revista Você S/A, edição de maio de 2011, que fala exatamente o contrário. Abaixo, a íntegra da nota:

PAPO GASTO

O discurso do apagão de talentos está mascarando uma incompetência das empresas

O assunto mais discutido no mercado de trabalho no Brasil, hoje, é a falta de profissionais qualificados. Isso é verdadeiro para algumas carreiras, como os engenheiros de minas ou profissionais que trabalham no setor de óleo e gás. Porém, as áreas de recursos humanos de muitas empresas têm usado o discurso do apagão de talentos para maquiar uma deficiência no processo de recrutamento: a falta de comunicação adequada para atrair jovens. Ao usar filtros antigos na seleção, as companhias são incapazes de detectar as qualidades dos profissionais em início de carreira, que acabam barrados. Ou seja, perdem pessoas e empresas. Nos últimos três anos, Paula Giannetti, superintendente de RH do Santander, liderou um projeto que redefiniu a estratégia do banco na comunicação com os jovens e revelou algumas verdades inconvenientes sobre a falta de mão de obra. Veja quais são elas:

Existe gente no mercado
Todos os anos, as universidades brasileiras formam, em média, 800 000 profissionais. Não há sentido em falar sobre falta de gente.  ”Temos 5 milhões de jovens universitários”, dis Paula.

Treinamento resolve
É verdade que muitos chegam ao mercado com deficiência de formação. Mas isso pode ser corrigido com treinamento adequado.

Requisitos certos
Antes do projeto, o Santander recrutava 30 jovens por ano em um programa de trainee. Os filtros eram: universidade top de linha, currículo e língua estrangeira. No ano passado, o banco recrutou 650 jovens, usando os seguintes filtros: capacidade de aprender e habilidade de criar relacionamentos e se desenvolver via web.

Créditos: Você S/A – Edição 155 – Maio 2011

Acho que, com isso, pode ser que acabem as desculpas das empresas por vagas não ocupadas. A propósito, seria uma boa a revista tratar também das vagas mal qualificadas. Tem cada uma que dá até vergonha comentar…

Abraço!

Vindo do meu amigo, Daniel Jorge!

Sobre Gustavo Lima

- Marketing pela Faculdade Integrada do Ceará; - Especialista em Comércio Eletrônico - Gestão de E-commerce (Internet Innovantion) - Marketing Digital pela Internet Innovation; - Professor das disciplinas Gestão Aplicada e Ética - WebExpert de Google AdWords - Twitter: @gustavolimamkt

Publicado em maio 27, 2011, em Gestão, Pessoas, Vagas. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: